ENADE

9 11 2009

por Luciane Aulicino

Neste domingo ocorreu a 13° edição do Enade. Com isso, surgem alguns pontos importantes à serem analisados.

O primeiro, e talvez maior e mais polêmico ponto, é a falta de incentivo para a realização das provas, principalmente para os alunos do primeiro ano. Essa nota interfere “apenas” na classificação do curso, não na nota do aluno.

O segundo ponto é o local de prova, que na maioria das vezes é realizado em locais de difícil acesso e de risco, além da precária condição das escolas.

O terceiro ponto foi o que ocorreu na minha classe, um boicote maciço por parte dos alunos, que esperaram apenas o tempo mínimo de meia hora para entregar a prova em branco, tentando fazer uma alusão à eleição quando as pessoas anulam o voto.

Ao final da prova existiam nove questões para avaliação da prova, dentre elas uma que questionava sobre o desempenho na prova e, pelo que pude perceber, a grande maioria respondeu que o problema é a falta de motivação para sua realização.

Com isso fica a dúvida, será realmente que essa classificação é confiável ou o MEC tem que resolver essa falta de motivação para um melhor desempenho?





TURISMO DE EXCENTRICIDADES

3 11 2009

por Luciane Aulicino

O turismo de excentricidade, também conhecido como turismo de experiência  ou de aventura, ainda é pouco explorado. Esse turismo é praticado com o intuito de praticar atividades extravagantes como forma de lazer, podendo ocorrer em qualquer lugar e de diferentes formas. Até o século XX, o turismo em si era considerado excêntrico, devido a sua raridade e ao pouco conhecimento do local visitado.

O turismo excêntrico ganha cada vez mais vertentes, dentre elas algumas merecem destaques como:

Turismo Espacial: Viagens espaciais realizadas por indivíduos sem propósitos científicos. Aberto apenas ao público extremamente rico.

Saara a pé: Praticado por um brasileiro, Toco Lenzi que conta com a ajuda de três guias e dois camelos que se alternam durante o trajeto. O pacote custa em torno de US$ 3,5 mil.

Turismo de Mendicância: Permite ao turista viver como mendigo. Os turistas são levados com um cobertor e um instrumento musical, caderno de anotações e alguns acessórios que o auxiliem a ganhar esmolas para permanecerem na rua por três dias, monitorados por câmeras. No final da experiência são levados a uma desintoxicação e um tratamente em hotel de luxo.

Turismo para obesos no Zimbabwe: Tem como objetivo o emagrecimento dos turistas. Eles vivem de acordo com o modelo de vida imposto, ou seja, passam fome, como a grande maioria da população local. Existem boatos de que se a meta não for atingida, o turista não pode voltar para casa.

As motivações para o turismo excêntrico são as mais diversas possíveis, desde a busca por fortes emoções até a vontade de seguir os modismos da minoria. Já para os agentes que promovem os pacotes, a motivação é única e exclusiva focada no lucro.
Esse tipo de turismo tende a crescer mesmo que os valores não baixem e aconteceram de forma diversificada, ou seja, tudo que é estranho tende a ser explorado.





OBSESSÃO PELA BELEZA

29 10 2009

por Luciane Aulicino

O padrão de beleza, mais do que nunca, é uma questão bem particular, mas essas diferenças de opinião terminam assim que o assunto é a balança. Todas e todos tem problemas com ela. Isso deve-se muito a imagem criada e passada pela mídia. Começando com as novelas, em que todos os personagens principais são magros ou sarados, deixando os atores mais fortinhos com os papéis de comediante, criando uma discriminação descarada.
Já as pessoas ditas “normais”, sem câmeras e photoshops para corrigi-las, muitas vezes recorrem à dietas malucas e que ultrapassam os limites do organismo. É exatamente nessas horas que surgem os distúrbios alimentares. O mais preocupante e alarmante é que esse problema afeta não só adolescentes, como a maioria pensa, mas também adultos e crianças.

A anorexia é um transtorno alimentar caracterizado, principalmente, pelo medo excessivo de engordar e a recusa em se alimentar. A pessoa possui, também, uma imagem distorcida de seu corpo, ou seja, ao se olhar no espelho se acha gorda, mesmo estando extremamente magra. Segundo os dados do Ambulim (Ambulatório de Bulimia e Transtornos Alimentares), do Instituto de Pesquisa do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP, a anorexia é o distúrbio psiquiátrico que mais mata. Estima-se a existência de aproximadamente 1,7 milhões de casos da doença no Brasil, mas esse número não é inteiramente confiável, pois a grande maioria dos casos não são divulgados e/ou não procuram tratamentos, dificultando ainda mais as coletas de dados.

As causas ainda não são precisamente determinadas, sendo considerada uma doença multicausal, resultado de uma complexa interação entre aspectos biológicos, psicológicos e sócio-culturais. Segundo pesquisas é improvável que apenas um desses fatores causem a anorexia. Dentre eles os principais são: a pressão da mídia, a falta de apoio e presença da família, além da auto-cobrança. De acordo com a Sociedade Americana de Psiquiatria Biológica, existem traços de temperamento que são determinados pela genética. Alguns traços de personalidade são mais vulneráveis a distúrbios alimentares do que outros.

Como identificar os distúrbios:
– Perda muito grande de peso
– Distorção de Imagem
– Apesar de estar magra, reclama que está acima do peso
– Pesa-se com frequência
– Exercita-se de forma obsessiva
– Olha-se no espelho para ver os defeitos
– Evita as refeições, dando desculpas para não comer
– Não assume que está com fome
– Cozinha para os outros, mas não come o que preparou
– Evita situações que envolvam comida
– Continua as dietas mesmo não estando acima do peso
– Reclama sobre sentir-se inchada ou enjoada mesmo quando come normalmente
– Interrupção do período menstrual
– O cabelo começa a cair muito ou ficar ralo
– Sente frio mesmo que a temperatura esteja normal





HARRY POTTER

22 10 2009

por Luciane Aulicino

Mesmo harry.bmpdepois de todos os livros publicados e de seis estréias nos cinemas, Harry Potter continua, até hoje, a fazer sucesso e render dinheiro para sua autora, J.K. Rowling. A mais nova iniciativa é uma parceria com a Universal Orlando Resort, prevista para 2010.  

A proposta é de montar um parque dentro de outro, ou seja, o parque do Harry Potter dentro do parque Islands of Adventure, que foi o último complexo a ser montado e tem sido considerado por muitos o melhor parque de Orlando.

O tema não será exclusivo de certo filme, e sim, do universo do bruxo. O seu interior ainda é um mistério, mais sabe-se que terá brinquedos e atrações interativas, lojas e restaurantes. É certo que o castelo de Hogwarts, a vila de Hogsmade e a misteriosa Floresta Proibida, vão ser reproduzidos, além disso, é prometida também uma atração única, que terá magia, personagens e histórias de Harry Potter.potter.bmp

Essa idéia se tornou concreta devido ao fato de que ano após ano as crianças, e até mesmo os adultos, mandam cartas pedindo esse tipo de atração, sendo o Harry Potter, o campeão de pedidos.

Embora tudo isso ainda não tenha saído do papel, é certo que vai ter um grande retorno, afinal, quem não teria vontade de entrar na Floresta Proibida?





Até Onde?

15 10 2009

por Luciane Aulicino

Vive-se num mundo onde o incerto predomina sobre o certo. Onde o velho tornou-se novo e o novo tornou-se velho. Onde o amanhã já é hoje. Onde o passado é distante. Onde a fome pede passagem. Onde a violência supera a paz. Onde o medo supera o amor. Onde a razão supera o coração.

Vive-se num mundo onde chato virou mais certo que o legal. Onde o ruim supera o bom. Onde o mar adentra a Terra. Onde a chuva devasta cidades. Onde o mato tem lugar certo pra nascer. Onde o gado tem nome. Onde pessoas não tem nome. Onde o pobre é mal tratado. Onde o rico massacra o pobre. Onde não existe mais olhar.

Vive-se num mundo onde a solidão supera a união. Onde o romance virou sexo. Onde o pegar na mão virou amasso. Onde o beber virou porre. Onde o ser humano virou lixo. Onde o dinheiro tomou o lugar do caráter. Onde o tempo encurtou. Onde o stress aumentou. Onde as doenças vem cada vez mais à tona.

Vive-se num mundo onde passar por cima do outro virou corriqueiro. Onde lavagem de dinheiro é a coisa mais bela. Onde a paisagem não tem mais valor. Onde as brincadeiras são consideradas idiotas. Onde a ignorância predomina. Onde ser mal educado está na moda. Onde não ter família é mais legal. Onde os velhos ficam jogados às traças.

Vive-se num mundo onde não se tem mais coragem. Onde não se tem mais ousadia. Onde não se tem mais alegria. Onde não se tem mais amor. Onde não se tem mais compaixão. Onde o ser humano, o único com pensamento racional, vem tornando-se irracional por suas próprias mãos.

Até onde?





AGORA É CERTEZA:RIO 2016

4 10 2009

por Luciane Aulicino

Em complemento ao meu texto da semana passada, venho aqui adicionar algumas considerações.

Eu, particularmente, era daquelas pessoas contra a vitória do Rio de Janeiro para sede das Olimpíadas de 2016, pois penso que esse dinheiro poderia ser mais bem empregado aqui no Brasil. Além disso, a realização dos jogos em países desenvolvidos seria menos dispendioso, já que eles possuem uma infra-estrutura muito superior à existente no Brasil.

Agora, com o anúncio do resultado da eleição, deixei meu lado de brasileira falar mais alto e uma euforia se instalou no lugar da preocupação. Com isso, passei, também, a ver o lado positivo da vitória brasileira.

Com a Olimpíada, o transporte público vai melhorar consideravelmente, as obras dos estádios vão trazer mais empregos para a população, as crianças vão se empenhar mais no esporte, podendo, muitas vezes melhorar a situação de vida delas, entre muitas outras coisas, sobretudo o espírito de nacionalidade brasileira que andava muito adormecido.

No final de tudo, acho que valeu, e muito, dar uma chance ao Rio de Janeiro, e principalmente, ao Brasil, que vai sediar em 2014 a Copa do Mundo e em 2016 as Olimpíadas. Por mais sutil que pareça esse dado, na verdade, ele é a prova concreta de que o Brasil chegou ao topo, mas dessa vez, para ficar entre as grandes nações do mundo.

 

E você, o que acha disso? O Brasil tem condições de ser sede da Copa do Mundo e das Olimpíadas ou é apenas mais um pretexto para desviar dinheiro?





RIO 2016

29 09 2009

por Luciane Aulicino

Nessa sexta-feira (02/10) será anunciada pelo COI (Comitê Olímpico Internacional) a cidade sede das Olimpíadas de 2016. O processo de seleção se deu em duas etapas. A primeira com sete cidades, eram elas: Tóquio (Japão), Madri (Espanha), Chicago (EUA), Rio de Janeiro (Brasil), Doha (Qatar), Praga (República Tcheca) e Baku (Azerbaijão). Dentre elas, apenas as quatro primeiras restaram para a segunda etapa e uma delas vai se tornar sede oficial, logo menos.

Existem muitos rumores de que a cidade do Rio é favorita, mas será mesmo? E se for, será benéfico ou não para a cidade?

Essas perguntas só poderão ser respondidas corretamente se esse fato se concretizar. É notório que com a sede das Olimpíadas, o Rio melhorará sua infra-estrutura, seu sistema de transporte público, a qualidade dos seus estádios, além, é claro, de atrair milhares de turistas à cidade maravilhosa, que há pouco tempo recebeu, também, o título de cidade mais feliz do mundo.

A candidatura é apoiada em vários pilares, desde a economia brasileira até a maior interação da sociedade com o esporte. Seja ela qual for, parece que foi bem articulada, pois, até agora, convenceu a maioria dos eleitores.

Mas uma coisa é questionável. Será que o COI vai dar o título ao Rio de Janeiro, apenas por ser o Rio de Janeiro ou nós realmente temos condições de receber uma olimpíada? Creio que não; se tivéssemos, não teríamos o maior orçamento e nem a menor estimativa de renda com os ingressos. No final, acho que tudo não passa de uma propaganda de amparo aos mais necessitados.

E você, o que acha do assunto? Apóia a candidatura do Rio ou acha que esse dinheiro deveria ser empregado na educação e na saúde, já que ele existe para ser gasto nas prováveis olimpíadas?